Início INTERNACIONAL Jihadistas treinam filhas de 7 e 9 anos para serem crianças-bomba .
Jihadistas treinam filhas de 7 e 9 anos para serem crianças-bomba .

Jihadistas treinam filhas de 7 e 9 anos para serem crianças-bomba .

8
0

Na última sexta-feira (16), uma menina de 7 anos entrou na delegacia de polícia do bairro de Midane em Damasco, capital da Síria. Pedindo para usar o banheiro, ela foi acompanhada por um policial.

Minutos depois, o cinto de explosivos que ela tinha preso ao corpo foi acionado à distância. Além da menina, morreram 3 policiais. A imprensa não divulgou o nome dela, nem detalhes do atentado.

Nesta terça (21) um vídeo foi publicado pelos pais da menina, mostrando que ela fora treinada e sabia que morreria para “satisfazer Alá”. Essa foi a primeira vez que uma criança foi utilizada para um atentado com cinto de explosivos em Damasco.

O vídeo, divulgado pela imprensa europeia, mostra como foram os próprios pais da pequena Islam que treinaram ela e a irmã Fatima (9 anos) para serem crianças-bomba. O nome do casal jihadista não foi divulgado.

A mãe, que veste uma burca preta, abraça as crianças várias vezes, enquanto se despede das meninas, que vestem casacos e tocas de lã. O pai, que filma tudo, faz um discurso sobre a necessidade dos sírios se livrarem do presidente Assad. Ao fundo, uma bandeira preta, com dizeres em árabe, símbolo do califado.

Ele pergunta a elas se somente homens adultos deveriam tomar parte na jihad. As meninas dizem que ninguém é jovem demais para a guerra santa e clamam ‘Allahu Akbar’ antes de saírem da sala. Na sequência, o homem aparece frente a câmera. Diz então o nome das crianças: Islam e Fatima. Pergunta à mais nova o que ela “vai fazer hoje”, a resposta surpreendente é que ela iria realizar um atentado suicida.

Segundo a imprensa síria, o homem é membro do grupo terrorista Jabhat Fateh al-Sham, anteriormente conhecido como Al-Nahsa.

Ainda no vídeo, ele questiona: “Você não vai ter medo porque está indo para o paraíso, certo?”. A menina da esquerda responde simplesmente: “Sim”. Então o pai ora para que Alá aceite o sacrifício que elas estão fazendo.

Não há informações se a mais velha cometeu outro ataque.

Especialistas acreditam que o vídeo foi divulgado agora como uma maneira de estimular grupos rebeldes a retomarem a luta armada após a grande derrota para o exército sírio em Aleppo.  Para o resto do mundo é mais um testemunho do fanatismo islâmico que parece se multiplicar a cada dia no mudo todo.

Assista:

(8)

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *