Início HORA INTERESSANTE Os prêmios Nobel do “povo escolhido”
Os prêmios Nobel do “povo escolhido”

Os prêmios Nobel do “povo escolhido”

2
0

            Em numerosos países ao redor do mundo, os judeus têm se tornado massivamente representados nas profissões as mais diversas, bem como,nas universidades e entre os líderes de negócios e os muito ricos. Nos mais elevados níveis de realização intelectual, os judeus ganharam 27% do prêmio denominado A.M.Turing, que tem sido conferido, anualmente, de 1966 a 2009, para as principais contribuições técnicas na área de ciência da computação. Os judeus têm sido metade dos campeões e grandes mestres de xadrez do mundo: entre 1851 e 1986 houve 15 campeões mundiais de xadrez, sendo, sete destes judeus. Outro jogo cognitivamente demandante é o “bridge”. Estima-se que mais da metade dos melhores jogadores e teóricos neste último tem sido judeus. Porém, o ápice da realização intelectual em ciência e literatura é o Prêmio Nobel. E neste, os judeus têm sido os mais representados dentre os laureados. No período de 1901-1962, 16% dos laureados com o Nobel em Ciência foram judeus. Mas, como se distribui essa premiação sueca em diferentes países?

            Na Áustria, de um total de 16 Nobel laureados, 7 foram judeus. Na Tchecoslováquia, houve 3 prêmios Nobel, dos quais, 2/3 eram judeus. A Hungria produziu 12 prêmios Nobel, dos quais, sete foram judeus. Na Holanda e na Bélgica houve 18 prêmios Nobel para Ciência, Literatura e Economia, dos quais, um deles foi judeu. A Inglaterra tem produzido 79 prêmios Nobel, 3 dos quais foram judeus. No Canadá, com 8 prêmios Nobel, 4 deles foram judeus. Na Dinamarca, de um total de11 Prêmios Nobel, 3 eram judeus. Em França, 41 foram laureados com o Nobel, sendo 6 destes judeus. Na Alemanha, dos 89 Nobel laureados, 21 foram judeus. Em Israel, 6 israelenses, todos judeus, foram premiados com o Nobel. Na Itália, a lista de 16 laureados com o Nobel, 4 foram judeus. Na América Latina, como um todo, 8 foram os laureados com o Nobel e, destes, 2 foram judeus. Na Polônia, dos 9 Nobel, 4 foram judeus. Na Rússia, dos 23 Nobel laureados, 16 (70%) têm sido judeus. Na África do Sul, dos 5 Nobel, 2 foram judeus. Na Suíça, dos 17 laureados, 3 foram judeus. Nos países da região dos Balcãs, como Bulgária, Grécia, Romênia, Turquia e Iugoslávia, houve 7 prêmios Nobel, sendo 1 judeu. Nos EUA, dos 200 Nobel laureados, 62 (31%) foram judeus.

            Não obstante, ao invés de considera o número absoluto de judeus entre os Nobel laureados, é interessante observar o índice “Quociente de Realização”, isto é, dividindo a porcentagem de realizações dos judeus por sua porcentagem na população. Assim considerando, a mediana deste quociente para Nobel laureado é 24,5, variando de 6, para a Inglaterra, a 320 na Itália. Traduzindo, embora a população judaica no mundo seja uma pequena fração, suas supremas realizações são magníficas e, muitas, transformadoras da humanidade.

(2)

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *